5 Sinais de um Testador não profissional

A idéia de criar este post veio da leitura de um post, com o mesmo nome do site Bug Hunters, onde o post original pode ser visualizado neste link http://blog.bughuntress.com/uncategorized/signs-of-unprofessional-tester

Eu peguei os 5 pontos que o site lista, que eu achei muito bons, e estou colocando também a minha opinião sobre eles.
Recomendo a todos os leitores a também ler o post original.

 

Antes dos 5 pontos

Muitos, que não são da área de teste falam que não existem bons profissionais de teste, em contrapartida os profissionais de teste falam que não tem o reconhecimento (tanto das atividades quanto sobre a remuneração) que deveriam. Alguns outros ainda acham que, com a regulamentação da área isso mude.

Os sintomas descritos abaixo são 100%, ou quase, o que todas as pessoas de um time querem, so que ao contrario.

Se você testador está lendo e se identificando com estes pontos, lembre que o que a maioria dos itens que os times hoje procuram são estes e que você pode ter sérios problemas em conseguir uma vaga ou se adaptar a um novo trabalho.

 

Os 5 pontos

  1. Você pensa que não precisa ler código
    Pense o seguinte: você trabalha em uma equipe/time que desenvolve software certo? Um software é composto por linhas de código, mas o trabalho do testador (antigamente) não necessitava conhecer de código. Você pode até não saber como escrever código para uma aplicação profissional, mas saber ler e entender uma pequena parte é essencial.Conseguir ler um código te habilita a compreender melhor sobre algum problema e até mesmo como resolvê-lo, senão você pode estar perdendo muita informação e não contribuindo para a qualidade da aplicação.
  2. Você pensa que é normal iniciar testes somente depois da fase de desenvolvimento
    Uma coisa é certa: você não estará realmente engajado e provendo feedback e melhorando a qualidade da aplicação como um todo se não participar desde o inicio de sua concepção. É extremamente valioso que você consiga entender e questionar os requisitos do cliente desde o início e participe de qualquer outra fase. Isso vai, além de ajudar o time, a você ter mais ideias de como pode testar a aplicação.
  3. Você, normalmente, não interage com o seu cliente
    Analise: seu trabalho não é, total ou parcialmente, garantir que os requisitos do usuário estejam presentes? Então como você não  interage com ele? É muito importante conversar com o cliente e colher feedbacks se o que está sendo feito está realmente de acordo com o que ele especificou (ou imaginou), e ninguém melhor para fazer isso que um tester.
  4. Você considera gerenciamento de risco desnecessário
    aplicação que você testa, provavelmente, tem uma incidência/ocorrência maior de defeitos em certa funcionalidade ou módulo, certo? Então porque negligenciar essa importante informação? Eu vejo muitos tentadores preocupados em testar se podem inserir letras em campos numéricos e colar um livro inteiro em um campo memo do que realmente focando em partes do sistema que mais tem incidência de defeitos. Apenas analisando onde ocorrem mais bugs, que é um filtro simples em uma ferramenta de bugtracker ou uma conversa com alguém do time ou até mesmo o cliente, você consegue priorizar o que testar.
  5. Você não tenta melhorar o seu valor em teste
    Se você pensa que testar é somente criar um documento de Plano de Teste e, depois, criar uma série de Casos de Testes desculpe, mas você está voltando no tempo. Não é somente criando estes documentos que você estará provando o seu valor como testador, e sim sabendo como contribuir com o time. Se o seu time desenvolve aplicações utilizando o último framework MVC em JavaScript, aprenda um pouco sobre ele. Não precisa aprender para virar um desenvolvedor, mas sim para ser capaz de identificar comportamentos. Aprenda sobre novas técnicas, leia livros sobre o assunto… aprenda mais!

 

Alguns pontos importantes sobre este post

Este post acabou gerando uma boa discussões em redes sociais, e eu acho isso ótimo!
Mas é bom colocar alguns pontos, alguns meus e alguns de pessoas que comentaram sobre o post…

O primeiro, que concordo totalmente com quem fez esse comentário, é que talvez a melhor forma de expressar estes pontos seria com a mudança do título do post para este: 5 possíveis comportamentos para melhorar seu desempenho como tester

  • Este post está um pouco inclinado aqueles que trabalham com métodos ágeis, possivelmente nos itens 1 e 3
  • Todos nós sabemos que existem diversos tentadores que já tentaram ou tentam aplicar alguns dos pontos, mas não o conseguem por alguma barreira da própria empresa (ela não deixa, não quer ou qualquer outro motivo)
  • Este post não quer “tirar o testador pra cristo”, e sim mostrar alguns problemas que na visão do autor original do post, e na minha, serão muito mais presentes e visíveis

One thought to “5 Sinais de um Testador não profissional”

  1. Primeiramente, ótimo post 🙂 considero os cinco itens bem pertinentes. Entretanto complementando o que o post fala em relação os itens (especialmente 1 e 3) estarem voltados a metodologia ágil, eu discordo em partes.

    O item um fala do testador compreender, saber ler um código, não necessáriamente estar apto a sair programando. Isto eu considero válido inclusive no modelo cascata.

    E o item três, em relação ao processo de testes iniciar somente depois do código pronto, é recomendado também no modelo tradicional que a etapa de análise de testes inicie sem o código pronto, para que os artefatos de testes reflitam o que sistema realmente deve fazer, sem influência do implementado.

    Desta forma, em minha singela opinião acredito que os cinco itens se apliquem a todos os cenários 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *