Qual minha opinião sobre Certificação de Teste de Software

Atenção: este post apresenta minha opinião desde o início de minha carreira na área até agora sobre teste de software.

 

Motivos que eu acho que a certificação é boa!

Mercado de Trabalho

Eu falo isso em todo lugar e por conhecer o mercado de teste: o que mais vai te beneficiar em obter uma certificação é ainda o mercado de trabalho.
Muitas empresas que são fábricas de software/teste ou são consultorias vêem com bons olhos as certificações mais voltada para o lado comercial. Uma empresa ganha mais pontos em uma licitação quando tem profissionais certificados, e isso é poder de convencimento que pode ser passado para o cliente, uma vez que os profissionais passaram por uma prova certificadora, em qualquer tipo de tecnologia, metodologia ou área.
Discorda? Pesquise sobre a maioria dos cargos relacionados a desenvolvimento. Você vai encontrar sempre uma certificação no meio.

Isso para nós é um motivo positivo, aqui no Brasil, para nos mantermos no mercado de trabalho. Infelizmente nem todos analistas de RH ou relacionados sabem extrair real informação sobre o nosso conhecimento e acabam filtrando currículos pela sopa de letrinhas que há nele.

Primeiro passo para entender sobre Qualidade e Teste de Software

Para uma pessoa que quer entrar para o mercado de teste de software estudar para a certificação pode ser uma boa. Embora hoje seja muito discutido sobre agilidade e, consequentemente, teste ágil, ainda é bom conhecer de onde vem algumas definições, técnicas e processos. Sabemos que as certificações de teste atuais não abordam teste ágil e estão “defasadas” com o que temos de novo em nossa área, mas conhecimento nunca é demais.

Essa pessoa que estuda para a certificação acaba conhecendo sobre diversos pontos, e traz uma noção do que é a área e, principalmente, sobre a teoria tão importante que até hoje profissionais de mercado não sabem!

 

Motivos que eu acho que a certificação não é boa!

Te faz acreditar que somente o que está nos livros é verdade

Sim, isso existe, assim como existem pessoas extremistas em política ou religião. Algumas pessoas da área tomam o referencial da certificação (geralmente material próprio para certificação) como lei.
Muitos conceitos, principalmente da ISQTB são bons e utilizados no mercado, mas pegar muitas coisas como lei também não dá. Isso acaba com o processo criativo e limita a visão sobre como podemos melhorar cada vez mais a nossa área.

Para termos um exemplo prático, até hoje há discordância em termos empregados para teste de performance. Tem literaturas (de certificação inclusive) que são contrárias nomenclaturas de mercado.

Não está atualizada para o mercado atual

Achar hoje que um Caso de Teste só é um Caso de Teste se seguir a norma IEEE 829 é como voltar a usar pochete (item febre na década de 90).
Algumas coisas, não muitas ou o todo, estão desatualizadas e não evoluem como o mercado evoluem. Tem material de certificação lançados em meados de 2007 e que não sofreu alterações.
Há vertentes como Automação de Teste, que é um conhecimento quase que obrigatório na nossa área, que nenhuma certificação básica aborda.
Há novas formas de trabalhar com a equipe para prover uma melhor qualidade do software, mas ainda as certificações apresentam processos formais e burocráticos.

Como escrevi anteriormente, conhecimento nunca é demais, mas temos que também olhar pra frente.

Tu podes ter muito mais conhecimento teórico e prático investindo o dinheiro da certificação em livros

Existem um post do Camilo Ribeiro que eu gosto muito, onde ele compartilha a mesma visão que eu tenho: o mesmo valor gasto com a prova de certificação (não contando um treinamento oficial) tu podes usar para comprar livros e se tornar bem atual no mercado, ou seja, aprender o que o pessoal tem feito e trabalhado…

http://www.bugbang.com.br/hoje-um-leitor-amanha-um-lider/

Quer um exemplo?

Valor da prova de certificação CTFL/BSTQB: R$ 350

Livros que podemos comprar e nos manter atuais no mercado, pegando livros estrangeiros e com a cotação do dólar a R$ 3.80

Total Livros: R$ 267.74 (um pouco a mais por conta do IOF)

Sobrou dinheiro com todos estes livros!

O que eu recomendo

Se você já está no mercado de trabalho e a empresa onde você trabalha exige uma certificação, ou você está notando que não consegue trocar de emprego porque utilizam a certificação como fator de classificação: faça!
Isso vale também para quem quer aprender a base, mas ai tu não precisa fazer a certificação em sí, apenas ler os livros e praticar um pouco já basta.

Se você já está na área e a certificação não importa muito, segue a linha de obter conhecimento em livros, palestras, seguindo outros blogs e praticando!

6 thoughts to “Qual minha opinião sobre Certificação de Teste de Software”

  1. Excelente post.
    Estava em busca por novidades na área de testes Ágeis e encontrei esse link que me proporcionou uma visão mais ampla e esclarecedora sobre o assunto.

    Congratis!

  2. Concordo, inclusive com os comentários, no entanto a maioria dos processos que participo meio que exigem que você possua uma certificação. Então estou estudando para a prova, inclusive em Inglês. Como minha pretensão é ir para o mercado internacional é sempre bom ler as definições internacionais. É sempre bom ler sobre a a nossa área de trabalho, no entanto isso não comprova nossas habilidades. E o mercado exige que sejamos avaliados. =/

    Só um update: Já temos a certificação para Teste Ágil. Mas nem sei o que pensar sobre isso.

    Abraços

  3. Infelizmente, ou felizmente certificação ainda é um diferencial nos dias atuais.

    Muito se fala em ágil atualmente, os testers estão cada vez mais perto dos Dev’s, e acredito que isso seja uma tendência. Porém acredito que em 80% das empresas (ou até um percentual maior que esse),essa ainda não é a realidade e ainda predomina o teste manual, os CT, e muita coisa tradicional.

    Partindo desse pressuposto, entendo a certificação ser tida como diferencial nos processos de seleção, pois ela “garante” que o candidato tem ao menos os conhecimentos básicos que um analista de testes/testador deve ter, pois hoje ainda é comum encontra pessoas vindas de outras áreas (infra,suporte, e ate de áreas não ligadas a TI) trabalhando com teste a mais de um ano, e que possuem “experiência” na área mais não conhecem os conceitos básicos de teste.

    Mais acho que as certificações são base de partida e não um ponto de acomodação para um bom analista de testes, então do meu ponto de vista a visão de um analista de teste deve ser:

    – Não tem certificação : Corra atrás e vá tirar !
    – Tenho certificação/estou estudando pra tirar: Muito bom ! que tal começar uma pós ?
    – Já tenho certificação e estou fazendo uma pós: muito bom, continue estudando (livros, blogs,cursos)
    .
    .
    .
    – Já tenho tudo isso: Parabéns, você deve ter um nível de conhecimento muito bom, que tal estudar um pouco mais? 😀

    Em fim, acredito que ninguém perde em estudar um poucos mais 🙂

  4. Olá Elias, primeiramente gostaria de lhe parabenizar pelo post. Mesmo ele sendo um pouco polêmico =P

    Acredito que a certificação em teste tem, como você citou, pontos fortes e pontos fracos. Como toda a certificação (seja ela internacional ou não) se baseia em materiais que nem sempre estão atualizados com a nossa realidade de hoje.

    Mas confesso que eu acho ela importante mesmo para aqueles que estão já no mercado de trabalho, pois o objetivo da certificação é validar seu conhecimento nesta área, pois ela ainda traz assuntos base do que é teste de software (mesmo o material não sendo atualizado). Lembrando que a CTFL tem as suas expansões CTAL-TM, CTAL-TA, e CTAL-TTA.

    Agora é importante ressaltar um ponto que você mencionou, infelizmente algumas pessoas que são certificadas levam o material de estudo (Syllabus) como o único ponto de vista, descartando qualquer coisa ou abordagem que esteja fora deste material. Na verdade sempre temos que ser críticos e ter um ponto de vista em cima da realidade do mercado de trabalho atual e nunca aceitar algo que está escrito como 100% verdade.

    Para mim o ideal seria tirar as coisas boas da certificação e juntar a experiência que ela te traz e agregar aos conceitos atuais de hoje, como teste ágil, automação, e etc. Afinal pagar 350 reais apenas para dizer que tem certificação acredito que não vale tanto a pena.

    Abraços!

  5. Elias, assino embaixo este teu post. Lá atrás em 2007, quando eu entrei no mercado, tinha o sonho de me certificar CTFL e CBTS. Cheguei a prestar a prova da CTFL, mas não me preparei corretamente e acabei não passando.

    Pois bem, os anos passaram, terminei a gradução, conclui o MBA focado em Gestão da Qualidade de Software e posso garantir que a certificação de teste nunca me fez falta. Hoje como coordenador de área, vejo que isto pode valer comercialmente para a empresa vender a sua área de QA de uma forma mais profissional aos seus clientes, porém é só.

    Em junho abrimos uma vaga para Arquiteto de Teste, onde fiz questão de não mencionar qualquer coisa sobre certificação. Prefiro muito mais um profissional pós-graduado, do que certificado.

    Aproveitando, o livro Continuous Delivery já tem tradução para português e eu comprei ele em uma promoção mega-foda no Extra, onde paguei 68 reais!!! Para quem tem dificuldades de inglês como eu (não gastem dinheiro em certificação, mas sim aprendendo inglês!!), vale muito a pena comprá-lo.

    Segue o link do buscapé: http://www.buscape.com.br/entrega-continua-como-entregar-software-de-forma-rapida-e-confiavel-dave-farley-jez-humble-8582601034.html#precos

    Infelizmente o estoque esgotou no Extra.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *