Resumo das minhas palestras no TDC 2016 POA

Introdução

Este ano participei do The Developers Conference 2016 Porto Alegre com algumas atividades:

  • Coordenação da Trilha de Testes
  • Workshop de Agile Testing
  • 3 palestras (Trilhas DevOps, Análise de Negócios e Mobile)

O intuito deste post é apresentar um resumo de cada palestra, passando pelos principais pontos.

Quero agradecer a Adaptworks por disponibilizar meu tempo para o evento 🙂

Palestra: A Importância do Teste Contínuo

Esta palestra foi na Trilha de DevOps. O legal é que a maioria das pessoas, pra não dizer todas, eram sysadmins.
Logo o assunto “teste” é algo realmente novo.

Inicialmente eu passei o conceito do que é Teste Contínuo e a real importância de ter testes que nos informem sobre a qualidade da aplicação como fator de “go/no go” do deploy da aplicação em qualquer estágio.

Falei também que quem trabalha com infraestrutura deve também testá-la, afinal, quem garante que os scripts de configuração dos ambientes estão sempre corretos a cada alteração? Minha sugestão pra você é dar uma olhada nesta apresentação.

No final passei a visão que os testes estão em todos os lugares de uma pipeline e que é necessário ter diversos “pontos de teste” sobre a mesma, desde os testes unitários até os testes de aceitação automatizados. Não esquecendo de criar suites de smoke para dar uma maior velocidade na execução. E que também é importante paralelizar os testes de execução mais lenta, como os testes funcionais e aceitação.

Palestra: O que Evitar na Escrita dos Critérios de Aceite

Esta foi uma das palestras que eu mais gostei…

Nela eu passei alguns exemplos práticos do que evitar na escrita dos critérios e como eles poderiam ser. É claro que cada um tem uma forma de escrever. Frente a isso meu principal ponto foi falar já no início da apresentação que um critério de aceite é diferente de um exemplo!

Palestra: Automatizando uma App Híbrida

Essa foi bem bacana, o pessoal prestou bastante atenção (não ví ninguém dormindo) e perguntou algumas coisas no final (isso é sinal de que o pessoal realmente prestou atenção!)

Falei como automatizar uma app híbrida usando o Appium com algumas dicas de como criar alguns testes independente se a app for híbrida ou nativa.

No hands on (mão na massa) mostrei como inspecionar elementos de uma app híbrida e como executá-las, bem como scripts executando em duas linguagem diferentes: Java e JavaScript.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *